quinta-feira , 27 abril 2017
Capa > História do Brasil > O Reino de Portugal

O Reino de Portugal

Seja bem vindo(a)

Você está na categoria História do Brasil, leia sobre O Reino de Portugal, e outros relacionados sobre História do Brasil e faça bom uso do conteúdo!
Compartilhe!

Trabalho sobre História do Brasil – O reino de Portugal

O Reino de Portugal

A expansão marítima européia foi liderada pelo reino de Portugal durante a quase totalidade do século XV. Para isto colaboraram as posições geográficas do país, o conhecimento da arte de navegar pela sua gente e a formação precoce de um Estado fortemente centralizado.

As origens da nação

Antigüidade
Em tempos remotos, uma infinidade de povos ajudou a formar a nação portuguesa.
Os primeiros foram os lígures e iberos sobre os quais existem reduzidas informações; no século XII a.C., os fenícios ocuparam vários pontos do território português; gregos e cartagineses misturaram-se aos primeiros povoadores nos séculos VII e VI a.C., sendo sucedidos pelos celtas.

Entre os anos 218 e 19 a.C., os romanos lutaram para submeter à Península Ibérica a seu império. A dominação romana trouxe grande progresso material às terras portuguesas, cuja população foi cristianizada no século IV da nossa era.

A crise do Império Romano e as invasões levaram a Portugal uma série de bárbaros germânicos: alanos, suevos, vândalos e visigodos e, com os últimos, iniciou-se o desenvolvimento do feudalismo no país.

O domínio muçulmano

O ano de 711 (século VIII) marcou o início da invasão dos árabes na Península Ibérica que trouxe uma série de importantes mudanças. Fugindo ao avanço árabe a maior parte da população refugiou-se ao norte, no reino visigodo das Astúrias. Os muçulmanos eram pouco numerosos, mas impuseram seu domínio com relativa facilidade ao dividirem parte das terras dos visigodos entre a população que permaneceu no país.

O domínio dos mouros trouxe importantes progressos. Tornaram-se conhecidos produtos como o arroz, algodão, limão e laranja. Desenvolveram-se manufaturas de azulejos e tecidos; sistemas de irrigação, enquanto a pesca no Atlântico passou a ter grande importância.

A reconquista

A luta contra o invasor muçulmano praticamente nunca cessou. Partindo do Reino das Astúrias os cristãos lutaram para reconquistar a Península Ibérica, impulsionados pelo crescimento populacional que se intensificou nos seus reduzidos territórios do norte, a Partir do século X. Tratava-se de conquistar terras aos árabes, mas a luta, inspirada principalmente pela religião, assumiu o aspecto de uma cruzada, sendo os cristãos peninsulares ajudados por guerreiros da Inglaterra, Alemanha e França.

A reconquista criou vários reinos na península e, em cada um deles, uma situação contraditória: fortaleceu-se ao mesmo tempo o feudalismo e o poder da monarquia, pois as terras tomadas aos árabes eram divididas entre os reis e os grandes senhores, estes últimos chamados condes em Portugal. No entanto, os monarcas ficavam com a maior parte das terras, possuíam o comando dos vários exércitos feudais unidos e a descentralização política característica do feudalismo não se desenvolveu, especialmente em Portugal. Em termos econômicos passaram a existir inúmeros traços de feudalismo como a servidão e as contribuições (impostos e serviços) pagas aos nobres.
Ao longo de séculos surgiram os reinos cristãos de Leão, Navarra, Castela e Aragão, que lutavam contra os mouros, mas também entre si, pela conquista de territórios.

O reino de Portugal

No final do século XI, o rei Afonso VI, que havia conseguido unir Castela e Leão, recebeu ajuda na luta contra os mouros de dois cavaleiros: Raimundo e
I Henrique, . originários da região francesa de Borgonha. Como paga de seus serviços militares os dois receberam terras e duas filhas do rei de Castela em casamento.

Henrique de Bargonha, casado com D. Teresa, recebeu o chamado Condado Portucalense ao sul do Rio Minho, como feudo do Reino de Leão.
A situação de dependência do novo condado durou pouco. A partir de 1114, o filho de D. Henrique e de D. Teresa, Afonso Henriques, passou a lutar pela autonomia em relação a Leão e Castela, ao mesmo tempo em que continuava a luta contra os muçulmanos.
Em 1139, depois de uma vitória sobre os sarracenos na Batalha de Ourique, Afonso Henriques proclamou-se rei, iniciando a dinastia de Borgonha. A independência do Estado português só foi reconhecida pelos castelhanos em 1143, mas Portugal continuou sob a ameaça do expansionismo de Castela.

Compartilhe!


O que acha? Adicione um comentário.
Este artigo sobre O Reino de Portugal, aborda alguns assuntos relacionados com História do Brasil, reino de portugal e foi atualizado em 2011-05-23