terça-feira , 22 agosto 2017
Capa > Saúde > Gravidez Indesejada – Como evitar, veja alguns métodos para que isso não aconteça.

Gravidez Indesejada – Como evitar, veja alguns métodos para que isso não aconteça.

Seja bem vindo(a)

Você está na categoria Saúde, leia sobre Gravidez Indesejada – Como evitar, veja alguns métodos para que isso não aconteça., e outros relacionados sobre Saúde e faça bom uso do conteúdo!
Compartilhe!

Como evitar a gravidez indesejada?  /  Quais os métodos úteis para evitar a gravidez indesejada?  /  O que é contraceptivos?  /  O que são Pílulas, como tomar?  /  O que é DIU(cobre)?.

Qual o melhor momento para se ter um filho? É importante avaliar a estabilidade da vida pessoal, as condições de trabalho, os projetos de atualização profissional e até mesmo os estudos. E aí, sim, determinar o melhor momento para engravidar. A responsabilidade de gerar mais um habitante para o mundo deve ser encarada antes da concepção. O planejamento é possível. São muitas as formas de controlar a fertilidade. Existem anticoncepcionais de todos os tipos: hormonais, não hormonais, comportamentais, além das cirurgias irreversíveis.

É bom lembrar que nenhum método é 100% eficaz e o principal: a mulher não deve se automedicar. Tomar a pílula da vizinha ou da amiga é uma temeridade contra a saúde e ainda aumenta as chances de gravidez. O ginecologista Fábio Castanheira, representante em Alagoas das sociedades brasileiras de Reprodução Humana e de Ginecologia Endócrina, explica que diante dos diferentes hormônios e quantidades destes nos contraceptivos é necessário observar vários aspectos da paciente para a escolha do anticonceptivo ideal, como: coagulação sangüínea, padrão menstrual, peso, taxa de colesterol e oleosidade da pele. No mais, os contraceptivos hormonais são contra-indicados para fumantes com mais de 35 anos e pacientes com câncer.

Os métodos hormonais incluem anticoncepcionais orais, injeção, dispositivo intra-uterino (DIU), implante, adesivo e anel vaginal. É indispensável a consulta ao ginecologista, uma vez que os hormônios podem interferir nos hábitos e condições de saúde das usuárias. A variedade pode conferir às mulheres opções sob medida para diminuir a tensão pré-menstrual, cólicas, anemia e até provocar a amenorréia – interrupção da menstrução (tema ainda polêmico entre os estudiosos).

Entre os contraconceptivos hormonais, uma das novidades é o implante, que tem a forma de bastonete (cabe na palma da mão) e é inserido sob a pele, na parte superior do braço. A técnica garante uma alta eficácia, durante três anos. O implante contém apenas progestogênio que é liberado em pequenas doses e passa só uma vez pelo fígado, por isso os efeitos colaterais no organismo são menores. Castanheira, no entanto, conta que o implante pode provocar a falta de domínio sobre a menstruação. Segundo o médico, entre as usuárias, 1/3 não menstruam; 1/3 menstruam uma vez por mês, e 1/3 ficam com o sangramento irregular.

Entre os contraceptivos, existem ainda os não hormonais: camisinha masculina e feminina, diafragma, espermicida e DIU revestido com fios de cobre. A camisinha ou condom, além de evitar a gravidez, previne as doenças sexualmente transmissíveis. Os espermicidas, encontrados no mercado em forma de creme, podem causar irritação, aumentando o risco das DSTs.

Os métodos comportamentais (tabelinha e método do muco) são práticas que ajudam a mulher a conhecer o seu período fértil. Assim, ela pode evitar a relação sexual ou usar métodos de barreira nestes dias. A baixa eficácia é a principal desvantagem das técnicas de comportamento. As falhas decorrem da exigência de muita disciplina e atenção em relação ao ciclo menstrual, que tem que ser regular.

Alguns métodos contraceptivos:

Pírulas(orais combinadas): Contém dois hormônios sintéticos (estrogênio e progesterona), que inibem a ovulação.

– implante: Tem a forma de um bastonete e é inserido sob a pele, na parte superior do braço. Contém apenas progestogênio.

Camisinha: Feita de látex, algumas possuem lubrificantes à base de água ou silicone. Disponível em uma grande variedade de tamanhos, formatos, cores e texturas.

DIU(cobre): Dispositivo intra-uterino feito de plástico flexível em forma de T, com revestimento ou fios de cobre. Para colocar ou retirar o DIU é preciso intervenção médica.

Compartilhe!


O que acha? Adicione um comentário.
Este artigo sobre Gravidez Indesejada – Como evitar, veja alguns métodos para que isso não aconteça., aborda alguns assuntos relacionados com Saúde, e foi atualizado em 2008-10-07
Compartilhar
Compartilhar